Menu

domingo, 18 de dezembro de 2011

4º Domingo do Advento

Nesse ultimo domingo do Advento a Igreja nos apresenta a bela narração do evangelho da anunciação. Deus  escolhe a Virgem de Nazaré para que dela nos venha o Salvador.Neste domingo acendemos a última vela do advento a vela de cor Vermelha,a vela do AMOR, esse amor que é o próprio Deus encarnado na figura de umo menino.Maria que neste domingo vem ser ousada no sei Sim,esse sim que nos traz um significado de entrega total e gratidão, foi através do Sim de Maria que hoje somos salvos pelo Amor.Maria nos ensina a estarmos disponíveis a fazer e acolher com amor a vontade de Deus.
Que esses dias que antecedem o natal sejam dias de oração, meditação, em preparação ao nascimento do Senhor que vem para nos salvar, não vamos permitir que os presentes, que a ceia,que as viagens... nos impeça de demonstrar nosso amor de forma concreta ao menino Deus.


Preparemos a Manjedoura de Cristo que é nosso coração, pra que o Menino Deus possa ter um lugar digno de Rei pra nascer... Jesus Meu coração é o Teu Belém...
 
 
 
Maranathá!



 Texto Escrito por Marcelo e Everson

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Minha Padroeira


Muitos que vem à Igreja de Santa Luzia não conhecem a história desta Santaprotetora não só dos olhos físicos, mas de nossos olhos espirituais é que celebrada no dia 13 de dezembro.
Santa Luzia era uma jovem de rara beleza e vinha de uma tradicional família italiana. Luzia foi criada em morais cristãs e tinha uma boa educação. Por ter tantos atributos, a jovem italiana era cercada de pretendentes, em vão, pois Luzia fez a promessa de entregar sua virgindade a Deus.
Seu pai faleceu quando Luzia era ainda adolescente e sua mãe Eutíquia mesmo sabendo da vontade da filha em permanecer casta queria de todas as formas casá-la. Tinha medo de morrer e deixar sua única filha sozinha. Eutíquia insistiu no matrimônio de Luzia com Múcio, jovem pagão da cidade de Siracusa.
Eutíquia era muito doente e em uma de suas crises Luzia a levou ao túmulo de Santa Ágata. Ao rezar, Luzia adormeceu e viu em sonho sua santa de devoção, Santa Ágata, que disse: “Que desejas de mim querida irmã? Tua mãe já está curada graças a tua fé. Saiba que como Deus dignou Glorificar a cidade de Catânia por minha causa, assim Siracusa será celebre por ti. Porque pela sua virgindade preparastes agradável morada a Deus em teu coração”. Luzia guardou em seu coração a satisfação por ser escolhida ao serviço de Deus.
Mesmo depois de curada Eutíquia teimava no casamento de Luzia com Múcio, porém a jovem estava irredutível e já havia tomado a decisão de servir a Deus. Pediu a mãe seu dote e distribuiu aos pobres. Múcio, seu noivo, não gostou e denunciou Luzia ao imperador da época, Pascácio. Disse ao imperador que Luzia havia o desprezado e que queria a intervenção da justiça imperial.
Luzia foi arrastada até o palácio do imperador por muitos soldados. Na época que aconteceu estes fatos, era comum a perseguição aos cristãos, então obrigaram a jovem Luzia a adorar falsos deuses, mas ela não se inclinou e disse: “Adoro a um só Deus verdadeiro e a ele prometi fidelidade”. Ao proferi estas palavras, Pascácio irritou-se e pediu que os guardas obrigassem Luzia a servir outros deuses, porém seu corpo ficou pesado, ninguém conseguiu movê-la.
Luzia passou a noite no calabouço enquanto o imperador e seus juizes decidiam o que fazer com ela. Decidiram que Luzia merecia a fogueira, porém mais uma vez seu corpo tornou-se pesado e não se movia. Pascácio irritado clamou: “Vamos queimá-la dentro do palácio. Desta vez não quero correr riscos. Faremos uma fogueira diferente. Despejaremos em suas vestes e também ao seu redor azeite, pixe e resina. Verão que bela fogueira teremos”. Todos o esforço de Pascácio foi em vão, pois Deus protegeu sua filha e milagrosamente a lenha e os outros resíduos não pegaram fogo. Ao ver isto, Pascácio pediu a um de seus guardas que decapitassem Luzia. Seu corpo tombou sem vida, mas seu espírito acabava de ser entregue a Deus, que lhe conferiu a glória virtuosa do martério. Tudo isso aconteceu no ano de 303.

Dizem também que Santa Luzia foi torturada e teve seus olhos arrancados, mas milagrosamente, Deus lhe conferiu outros olhos ainda mais belos..
Santa Luzia não é somente invocada como protetora dos olhos no sentido físico, mas também espiritual para que enxerguemos que Deus é sempre o mais importante e o único digno de adoração.

Santa Luzia, Rogai por nós! E que nossa visão na fé seja sempre perfeita, Amém! 

Padroeira da minha Pároquia de Origem.. 


segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

3º Domingo do Advento

Nesta semana acendemos a terceira vela, a vela da Alegria duas semanas que antecede o nascimento do Menino Deus em nossas vidas.Neste domingo a voz que clama no deserto vem aplanair os caminhos e o Senhor falando a cada um de nós, para nos indireitar dos caminhos escuros e seguir para Luz, que é Jesus, devemos nos abandonar nos braços da Luz pois é o caminho certo.Neste domingo da Alegria devemos nos lançar ao braços daquele que irá nascer pra assim sermos total Dele.Devemos indireitar esse caminho torto de escuridão que muitas vezes nos faz esquecer de Deus e optar pelo caminho incorreto e isso nos faz escravos de nós mesmo.Neste domingo da alegria devemos optar pela alegria que é Jesus e assim ver o frutos que ele nos dá.O “homem chamado João”, enviado por Deus “para dar testemunho da luz”, convida-nos a pensar sobre a forma de Deus atual na história humana e sobre as responsabilidades que Deus nos atribui na recriação do mundo.João Baptista não se coloca em destaque, ele diz logo o que ele não é. ele ja mosrta que ele batiza com água mas virá aquele que vos batizará com o Espirito Santo... 
Devemos nos lançar essa semana no Espirito Santo de Deus e  nos aprofundar na palavra convicta do amor Deus.


"Uma vela se acendeu neste momento é a 3º da Coroa do Advento" ---> A Vela Rosa da Alegria

domingo, 4 de dezembro de 2011

2º Semana do Advento

Estamos celebrado a segunda semana do tempo do advento, tempo de preparação para no nascimento do Senhor. Na primeira semana o evangelista nos recordava a importância da vigilância; é o próprio Cristo que diz Vigiai: não sabeis quando o dono da casa vem (Marcos 13,33), de fato todo Cristão deve, ou pelo menos deveria, estar preparado para o grande dia do Senhor. Não basta apenas termos consciência de que o Senhor virá precisamos nos preparar através de gestos concretos.
Nesse Segundo domingo do Advento vemos a figura significativa do ultimo profeta que anuncia a vinda do messias, João Batista, Marcos nos recorda no evangelho que João Batista pregava um batismo de conversão, eis a primeira atitude para a espera do Messias a Conversão de nosso coração, a mudança de vida, são essas as atitudes fundamentais que a vigilância deve nos levar. Sim, O Messias virá a nosso mundo, virá em nossa sociedade, mas antes disso é preciso que ele venha ao meu coração e o transforme, nossas famílias serão transformadas, nossa sociedade, a partir do momento que eu permito que esse frágil menino que nascerá em Belém transforme meu coração, minha vida.
Eis o tempo que sabiamente a Igreja nos propõem, não desperdicemos tamanha graça e preparemos nosso coração para acolher esse Senhor que vem a nós de forma tão bela e tão frágil que nos batizará com o Espírito Santo.(Mc 1,8)
 E nesta segunda semana acendemos a Vela de cor BRANCA, a Vela da Paz, que nesta semana possamos experimentar a Paz seja em nossa casa ou em nosso trabalho.
Maranathá
Texto escrito por: Everson Kloster futuro Aspirante Salvista

domingo, 27 de novembro de 2011

1º Semana do Advento


Iniciamos neste domingo um novo tempo o Advento, e juntamente a espera da segunda vinda de Cristo.O Advento é um momento muito forte pra toda igreja onde nos preparamos pro nascimento de Jesus.
O advento se inicia 4 semanas que antecipa o Natal, neste tempo do advento devemos recolher as palmas e o gloria nas celebrações Eucarísticas e é usado a cor roxa do paramento litúrgico nos preparando pro nascimento.
No tempo do advento temos também a coroa do advento que nela consiste 4 velas para ser acompanhadas durante cada domingo e sendo acesa nas celebrações  e cada vela tem seu significado e cor.
Trazemos nesta coroa a vela de cor Verde, branca,roxa e vermelha ou também pode ser trocada a cor roxa por rosa fica a critério de cada sacerdote.Nesta primeira semana acendemos a vela da cor Verde, a vela da Esperança, as leituras dessa semana nos mostram como devemos viver esse tempo:"Vigilantes" para acolher o Senhor que vem. E no Evangelho é uma EXORTAÇÃO à vigilância constante para preparar a vinda do Senhor. A vigilância é a capacidade de viver sempre o tempo de Deus, acolhendo-o como Redentor. Estar adormecido é estar cego diante da bondade de Deus. O ponto de partida da vigilância é nossa frágil condição que necessita da vinda de Deus. Perseverar é praticar as obras da fé.
Devemos estar vigilante e devemos manter nossos olhos fixos em Deus e vigiar pois não sabemos nem o dia e nem a hora que virá o Senhor.


domingo, 20 de novembro de 2011

JESUS CRISTO REI DO UNIVERSO

Chegamos com a solenidade de JESUS CRISTO REI DO UNIVERSO, que celebramos hoje, ao encerramento do ano litúrgico A, dedicado à reflexão do Evangelho de Mateus.
A festa de hoje tem um sentido eminentemente militante: o Reino de Cristo na Terra onde meditamos, sobretudo no mistério de sua vida, sua pregação e o anúncio do Reino de Deus. Durante o anúncio do Reino, Jesus nos mostra o que este significa para nós como Salvação, Revelação e Reconciliação ante a mentira mortal do pecado que existe no mundo. Jesus responde ao Pilatos quando pergunta se na verdade Ele é o Rei dos judeus: "Meu Reino não é deste mundo. Se meu Reino fosse deste mundo, meus súditos teriam combatido para que não fosse entregue aos judeus.. A Liturgia realça o caráter transcendente e escatológico do reinado e Senhorio de Cristo, que encarna ao mesmo tempo a figura de Pastor (Rei Messiânico) e de Juiz (Filho do Homem que morreu na cruz pela remissão de todos os pecados da humanidade), anunciando a todos o Juízo e a Paz.  Cristo, como “primogênito de todas as Criaturas” (Cl 1,15), é o rei e centro de todo o universo, que tem como coroa a multidão dos santos e nos convida a segui-Lo com entusiasmo e com unção, por ser “Soberano bendito, Rei dos reis, Senhor dos senhores” (1Tm 6,15).A festa deste domingo, portanto, nos leva a refletir sobre a convergência para Jesus Cristo. A convergência de todas as criaturas da terra e do céu, ainda que seja preciso ter presente que esta convergência é fruto de uma intensa atividade das criaturas, como as “obras de misericórdia”. 
O Papa Pio XI instituiu essa festa para que todas as coisas culminassem na plenitude em Cristo Senhor, simbolizado no que diz o Apocalipse: ”Eu sou o Alfa e o Ômega, Principio e Fim de todas as coisas.” (Ap1, 8) Ressalta a restauração e a reparação universal realizada em Cristo Jesus, Senhor da vida e da história. Nessa festa, celebra-se também nossa participação no Reino de Deus, sob a condição de aderirmos à verdade trazida por Jesus, pela qual somos caminheiros que se dirigem à Casa do Pai, para participarmos da mesa do Reino e de assumirmos o compromisso do Evangelho.
A celebração, fechando o Ano Litúrgico, traz para nós cristãos a reflexão em torno da vida de Jesus que significa para nós a salvação, onde impera no mundo o pecado.



segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Sacramentos da Igreja

"Os sacramentos são sinais eficazes da graça, instituídos por Cristo e confiados à Igreja, por meio dos quais nos é dispensada a vida divina.Sacramento são gestos de Deus em nossa vida. Realizam aquilo que expressam simbolicamente.
Os Sacramentos são 7, aqui vou citar cada um e explicar cada um deles.


1º Batismo:

O Batismo é a libertação do pecado original.O rito da Batismo consiste assim em derramar água na cabeça da pessoa que vai ser batizada, ao mesmo tempo dizer a forma:“Eu te batizo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.”

2º Crima/Confirmação:

O Crisma  é o sacramento do cristão que está amadurecendo na fé, onde se confirma a fé que foi professada no Batismo.O rito do Crisma consiste em passar o oléo na fronte da pessoa e ao mesmo tempo diz a forma"recebe, por este sinal, o Dom do Espírito Santo".

Eucaristia:

O Sacramento da Eucaristia é uma preparação pra receber o Corpo e Sangue de Cristo, e onde se conclui-se os primeiros sacramentos da iniciação Cristã.

4º Confissão:

No sacramento da Penitência celebramos a coragem de pegar de novo na mão de Deus e voltar a andar no caminho dele, que é o caminho certo.

5º Unção dos Enfermos:

Este sacramente uma vez que a vida nova na graça, recebida no Batismo, nao suprimiu a fraqueza da natureza humana nem a inclinação ao pecado (ou seja, a concupisciência), Cristo instituiu este sacramento para a conversão dos batizados que se afastaram dele pelo pecado.

6º Ordem:

A Ordem é o sacramento graças ao qual a missão confiada por Cristo a seus apóstolos continua sendo exercida na igreja até o fim dos tempos; portanto, o sacramento do ministério apostólico.E ela se comporta de três  graus: Episcopado, Presbiterado e o Diaconato.

7º Matrimônio:

Um dos estados de vida que é santificado por Nosso Senhor Jesus Cristo é o estado matrimonial. Assim como Jesus abençoa um Sacerdote com uma Sacramento especial, assim também abençoa o homem e a mulher que se unem para formar uma família. Para isso Jesus instituiu o Sacramento do Matrimônio, ou Casamento.


Os Sacramentos da Iniciação Cristã

* Batismo,Confirmação e Eucaristia 

Os Sacramentos da Cura 
* Confissão e Unção dos Enfermos
 
 Os Sacramentos do Serviço da Comunhão

* Ordem e Matrimônio


Fonte: CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA E ALGUNS SITES CATÓLICOS.

domingo, 6 de novembro de 2011

Solenidade de todos os Santos.

Hoje, a Igreja não celebra a santidade de um cristão que se encontra no Céu, mas sim, de todos. Isto, para mostrar concretamente, a vocação universal de todos para a felicidade eterna.

"Todos os fiéis cristãos, de qualquer estado ou ordem, são chamados à plenitude da vida cristã e à perfeição da caridade. Todos são chamados à santidade: 'Deveis ser perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito' "(Mt 5,48).

Sabemos que desde os primeiros séculos os cristãos praticam o culto dos santos, a começar pelos mártires, por isto hoje vivemos esta Tradição, na qual nossa Mãe Igreja convida-nos a contemplarmos os nossos "heróis" da fé, esperança e caridade. Na verdade é um convite a olharmos para o Alto, pois neste mundo escurecido pelo pecado, brilham no Céu com a luz do triunfo e esperança daqueles que viveram e morreram em Cristo, por Cristo e com Cristo, formando uma "constelação", já que São João viu: "Era uma imensa multidão, que ninguém podia contar, de todas as nações, tribos, povos e línguas" (Ap 7,9).

Todos estes combatentes de Deus, merecem nossa imitação, pois foram adolescentes, jovens, homens casados, mães de família, operários, empregados, patrões, sacerdotes, pobres mendigos, profissionais, militares ou religiosos que se tornaram um sinal do que o Espírito Santo pode fazer num ser humano que se decide a viver o Evangelho que atua na Igreja e na sociedade. Portanto, a vida destes acabaram virando proposta para nós, uma vez que passaram fome, apelos carnais, perseguições, alegrias, situações de pecado, profundos arrependimentos, sede, doenças, sofrimentos por calúnia, ódio, falta de amor e injustiças; tudo isto, e mais o que constituem o cotidiano dos seguidores de Cristo que enfrentam os embates da vida sem perderem o entusiasmo pela Pátria definitiva, pois "não sois mais estrangeiros, nem migrantes; sois concidadãos dos santos, sois da Família de Deus" (Ef 2,19).

Neste dia a Mãe Igreja faz este apelo a todos nós, seus filhos: "O apelo à plenitude da vida cristã e à perfeição da caridade se dirige a todos os fiéis cristãos." "A perfeição cristã só tem um limite: ser ilimitada" (CIC 2028)

.

"Sede Santos como vosso Pai é Santo" 




quinta-feira, 3 de novembro de 2011

O que é o Purgatório ?


Entre o Purgatório e o Inferno existe uma diferença grande que importa esclarecer. Sendo, na verdade, estâncias de sofrimento, diferenciam-se, no entanto, fundamental e es­sencialmente por sua natureza.
O Purgatório é a sala de espera, o vestíbulo, a antecâmara do Céu. Quem nele se encontra está feliz, porque tem a certeza absoluta de que, terminada a expiação, irá gozar eternamente de Deus e do seu reino. Daí a sua serenidade, a paz e a resi­gnação perfeita. Apessoa está seguríssima de que não perderá jamais a graça santificante. Sofre indizivelmente com a dilação e com as demais penas, mas sofre sob a mão misericordiosa de Deus e na sua amizade, sofre cheia de fé e de esperança.
O Inferno, pelo contrário, é a morada do ódio, da dor e do desespero por toda a eternidade.No Purgatório, o centro da pena é a dor de um amor que se vê retardado na posse do Bem infinito que ama; no inferno, o centro da pena do condenado é o ódio a Deus, Bem infinito que para sempre se perdeu.
O Purgatório é o acordo entre a misericórdia e a justiça. Deus criando-te, tudo te deu para tudo empregares no seu serviço. Mas sucede que, ofendendo-O, faltas a esse dever, para servires ao demónio e às paixões. Subtraindo a Deus o serviço que Lhe é devido, contrais uma dívida para com Ele.



Fragmento extraído de:O QUE É O PURGATÓRIO?

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Padroeira do Brasil.

Quem é essa que avança como Aurora....

Com muita alegria nós, brasileiros, lembramos e celebramos solenemente o dia da Protetora da Igreja e das famílias brasileiras: Nossa Senhora da Conceição Aparecida.
A história de Nossa Senhora da Conceição Aparecida tem seu início pelos meados de 1717, quando chegou a notícia de que o Conde de Assumar, D. Pedro de Almeida e Portugal, Goverm oratório simples, onde passou a se reunir com os familiares e vizinhos, para receber todos os sábados as graças dnador da Província de São Paulo e Minas Gerais, iria passar pela Vila de Guaratinguetá, a caminho de Vila Rica, hoje cidade de Ouro Preto (MG).
Depois de muitas tentativas sem sucesso, chegaram ao Porto Itaguaçu, onde lançaram as redes e apanharam uma imagem sem a cabeça, logo após, lançaram as redes outra vez e apanharam a cabeça, em seguida lançaram novamente as redes e desta vez abundantes peixes encheram a rede.A imagem ficou com Filipe, durante anos, até que presenteou seu filho, o qual usando de amor à Virgem fez uo Senhor por Maria. A fama dos poderes extraordinários de Nossa Senhora foi se espalhando pelas regiões do Brasil.
No ano de 1894, chegou a Aparecida um grupo de padres e irmãos da Congregação dos Missionários Redentoristas, para trabalhar no atendimento aos romeiros que acorriam aos pés da Virgem Maria para rezar com a Senhora "Aparecida" das águas.
O Papa Pio X em 1904 deu ordem para coroar a imagem de modo solene. No dia 29 de abril de 1908, a igreja recebeu o título de Basílica Menor. Grande acontecimento, e até central para a nossa devoção à Virgem, foi quando em 1929 o Papa Pio XI declarou Nossa Senhora Aparecida Padroeira do Brasil, com estes objetivos: o bem espiritual do povo e o aumento cada vez maior de devotos à Imaculada Mãe de Deus.
Em 1967, completando-se 250 anos da devoção, o Papa Paulo VI ofereceu ao Santuário de Aparecida a Rosa de Ouro, reconhecendo a importância do Santuário e estimulando o culto à Mãe de Deus.
Com o passar do tempo, a devoção a Nossa Senhora da Conceição Aparecida foi crescendo e o número de romeiros foi aumentando cada vez mais. A primeira Basílica tornou-se pequena. Era necessária a construção de outro templo, bem maior, que pudesse acomodar tantos romeiros. Por iniciativa dos missionários Redentoristas e dos Senhores Bispos, teve início, em 11 de novembro de 1955, a construção de uma outra igreja, a atual Basílica Nova. Em 1980, ainda em construção, foi consagrada pelo Papa João Paulo ll e recebeu o título de Basílica Menor. Em 1984, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) declarou oficialmente a Basílica de Aparecida Santuário Nacional, sendo o "maior Santuário Mariano do mundo".
Neste dia solene pedimos e rogamos pela Mãe Aparecida.Intercedei,
ó Mãe por este teu Povo Brasileiro.Viva a Mãe de Deus e Nossa!

domingo, 9 de outubro de 2011

Outubro, Mês Missionário.

O mundo não conhece a Deus. As civilizações se desenvolvem, a tecnologia avança, o homem conquista grandes descobertas – mas o mundo ainda não conhece Deus
Há aqueles que não o conhecem porque sempre viveram em um ambiente
de crendices, superstições, idolatrias e buscas de filosofias que não são cristãs como o espiritismo que nega a ressurreição de Cristo e, por isso, incompatível com a fé cristã católica, sendo até antagônica. Estes precisam que um missionário lhes mostre, com palavras, meditações e ações, a existência de um Deus uno e trino – Pai, Filho e Espírito Santo – que nos ama e que quer ser amado por nós, principalmente através do amor aos nossos semelhantes.

Há aqueles
que já foram informados sobre esse Pai amantíssimo, mas a ganância, a violência, o egoísmo não lhes deixam conhecer realmente o projeto de felicidade que Deus tem para nós. É preciso que alguém lhes abra os olhos e os faça enxergar e viver as maravilhas do céu, cujo caminho não é o mais fácil, mas, certamente, é o mais seguro.

Infelizmente, há também aqueles que conhecem a ternura e o amor de Deus, mas, por isso mesmo, se acham tão melhores do que os outros, que se assentam em sua altivez, esquecendo que a humildade, a simplicidade nos conservam mais perto do Pai e que o orgulho nos afasta d’Ele.Para todos esses, urge que surjam missionários dispostos a mostrar ao mundo o Deus verdadeiro, que é amoroso, simples: que aplaude a humildade e o serviço espontâneo e desinteressado.

O mês de outubro é considerado no seio da Igreja Católico como o mês das missões para lembrar-nos de nos tornar missionários, levando a Palavra de Deus a todos que, de uma maneira ou de outra, não a conhecem realmente

O Santo Padre Bento XVI em sua mensagem para o dia das missões de 2010 nos exorta: “Queridos irmãos e irmãs, que o Dia Mundial das Missões seja ocasião útil para compreender sempre melhor que o testemunho do amor, alma da Missão, diz respeito a todos. De fato, servir o Evangelho não deve ser considerado uma aventura solitária, mas um compromisso compartilhado de todas as comunidades. Ao lado dos que estão na linha de frente nas fronteiras da evangelização – e refiro-me aqui com gratidão aos missionários e missionárias -, muitos outros, crianças, jovens e adultos, com sua oração e cooperação, contribuem, de várias formas, para a difusão do Reino de Deus na terra. Desejo que esta co-participação, graças à colaboração de todos, aumente sempre”.

Por isso, como nos convoca o Santo Padre, não sejamos individualistas e vivendo uma fé intimistas, mas na missão de juntos construirmos a Igreja nos coloquemos como discípulos-missionários de Jesus Cristo, colocando a mão no arado e nos apresentando ao nosso Pároco, para que possamos como missionários levar o amor de Deus e a caridade àqueles que ainda não vivem uma fé que nos coloca nos espírito de redes de comunidade, na partilha e na caridade.Por isso é preciso que nós, que somos cristãos conscientes, tomemos o mês de outubro como ocasião de reflexão e de ponto de partida para um trabalho que, embora seja árduo, é compensador e nos ajudará a construir um mundo melhor, que cada vez mais de pareça com o Céu.

Por: Padre Wagner Augusto Portugal

sábado, 1 de outubro de 2011

Santa Terezinha do Menino Jesus

"Não quero ser Santa pela metade, escolho tudo".

Francesinha, que nasceu em Aliçon 1873, e morreu no ano de 1897. Santa Terezinha não só descobriu no coração da Igreja que sua vocação era o amor, mas sabia que o seu coração - e o de todos nós - foi feito para amar. Terezinha entrou com 15 anos no Mosteiro das Carmelitas, com a autorização do Papa e sua vida passou na humildade, simplicidade e confiança plena em Deus.

Todos os gestos e sacrifícios, do menor ao maior, oferecia a Deus, pela salvação das almas, e na intenção da Igreja. Santa Terezinha do Menino Jesus e da Sagrada Face esteve como criança para o pai, livre igual a um brinquedo aos cuidados do Menino Jesus, e tomada pelo Espírito de amor, que a ensinou a pequena via da infância espiritual. O mais profundo desejo do coração de Terezinha era ter sido missionária "desde a criação do mundo, até a consumação dos séculos".

Sua vida nos deixou como proposta, selada na autobiografia "História de uma alma", e como intercessora dos missionários sacerdotes e pecadores que não conheciam Jesus, continua ainda hoje, vivendo o Céu, fazendo o bem aos da terra. Proclamada principal padroeira das missões em 1927, padroeira secundária da França em 1944, e Doutora da Igreja, que nos ensina o caminho da santidade pela humildade em 1997, na data do seu centenário. ela mesma testemunha que a primeira palavra que leu sozinha foi: " céus "; agora a última sua entrada nesta morada, pois exclamou : " meu Deus, eu vos amo...eu vos amo ". "Não quero ser Santa pela metade, escolho tudo". Francesinha, que nasceu em Aliçon 1873, e morreu no ano de 1897. Santa Terezinha não só descobriu no coração da Igreja que sua vocação era o amor, mas sabia que o seu coração - e o de todos nós - foi feito para amar. Terezinha entrou com 15 anos no Mosteiro das Carmelitas, com a autorização do Papa e sua vida passou na humildade, simplicidade e confiança plena em Deus. Todos os gestos e sacrifícios, do menor ao maior, oferecia a Deus, pela salvação das almas, e na intenção da Igreja. Santa Terezinha do Menino Jesus e da Sagrada Face esteve como criança para o pai, livre igual a um brinquedo aos cuidados do Menino Jesus, e tomada pelo Espírito de amor, que a ensinou a pequena via da infância espiritual.

O mais profundo desejo do coração de Terezinha era ter sido missionária "desde a criação do mundo, até a consumação dos séculos". Sua vida nos deixou como proposta, selada na autobiografia "História de uma alma", e como intercessora dos missionários sacerdotes e pecadores que não conheciam Jesus, continua ainda hoje, vivendo o Céu, fazendo o bem aos da terra.
Proclamada principal padroeira das missões em 1927, padroeira secundária da França em 1944, e Doutora da Igreja, que nos ensina o caminho da santidade pela humildade em 1997, na data do seu centenário. ela mesma testemunha que a primeira palavra que leu sozinha foi: " céus "; agora a última sua entrada nesta morada, pois exclamou : " meu Deus, eu vos amo...eu vos amo ". Uma das Santas de minha devoção sou meio suspeito em dizer dela, mais da mesma forma vou dizer.Uma das mais singelas e doces Santas da nossa Igreja, isso basta... e uma frase que gosto muito e que me faz ir aos braços de Deus que é de sua propria autoria é:

"Minha vida é um brevíssimo segundo Minha vida é um só dia que escapa e que me foge Tu bem sabes, oh meu Deus Tu bem sabes, oh meu Deus Para amar-Te neste mundo, não tenho nada mais que hoje…"

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Santos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael

Com alegria, comemoramos a festa de três Arcanjos neste dia: Miguel, Gabriel e Rafael. A Igreja Católica, guiada pelo Espírito Santo, herdou do Antigo Testamento a devoção a estes amigos, protetores e intercessores que do Céu vêm em nosso socorro pois, como São Paulo, vivemos num constante bom combate. A palavra "Arcanjo" significa "Anjo principal". E a palavra "Anjo", por sua vez, significa "mensageiro".

São Miguel

O nome do Arcanjo Miguel possui um revelador significado em hebraico: "Quem como Deus". Segundo a Bíblia, ele é um dos sete espíritos assistentes ao Trono do Altíssimo, portanto, um dos grandes príncipes do Céu e ministro de Deus. No Antigo Testamento o profeta Daniel chama São Miguel de príncipe protetor dos judeus, enquanto que, no Novo Testamento ele é o protetor dos filhos de Deus e de sua Igreja, já que até a segunda vinda do Senhor estaremos em luta espiritual contra os vencidos, que querem nos fazer perdedores também. "Houve então um combate no Céu: Miguel e seus anjos combateram contra o dragão. Também o dragão combateu, junto com seus anjos, mas não conseguiu vencer e não se encontrou mais lugar para eles no Céu". (Apocalipse 12,7-8)

São Miguel Quem como Deus, Rogai por nós!

São Gabriel

O nome deste Arcanjo, citado duas vezes nas profecias de Daniel, significa "Força de Deus" ou "Deus é a minha proteção". É muito conhecido devido a sua singular missão de mensageiro, uma vez que foi ele quem anunciou o nascimento de João Batista e, principalmente, anunciou o maior fato histórico: "No sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré... O anjo veio à presença de Maria e disse-lhe: 'Alegra-te, ó tu que tens o favor de Deus'..." a partir daí, São Lucas narra no primeiro capítulo do seu Evangelho como se deu a Encarnação.
São Gabriel Força de Deus, rogai por nós!

São Rafael

Um dos sete espíritos que assistem ao Trono de Deus. Rafael aparece no Antigo Testamento no livro de Tobit. Este arcanjo de nome
"Deus curou" ou "Medicina de Deus", restituiu à vista do piedoso Tobit e nos demonstra que a sua presença, bem como a de Miguel e Gabriel, é discreta, porém, amiga e importante. "Tobias foi à procura de alguém que o pudesse acompanhar e conhecesse bem o caminho. Ao sair, encontrou o anjo Rafael, em pé diante dele, mas não suspeitou que fosse um anjo de Deus" (Tob 5,4).


São Rafael Medicina de Deus e protetor dos que viajam rogai por nós!


sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Pe. Pio de Pietrelcina


"Quem reza muito se salva, quem reza pouco está em perigo.

quem não reza se perde.” (Pe. Pio de Pietrelcina)

Homem segundo coração de Deus, exemplo de fidelidade, santidade e intimidade com o Senhor. Morreu dia 23 de setembro de 1968.

Desde pequeno, Francisco Forgione era de profunda oração. Menino calado, raríssimas vezes aceitava estar com amigos para brincar, pois eles sempre falavam blasfêmias e, isso doía muito em seu coração. Nas horas de folga, sempre que podia, ia à Igreja de São Pio V para rezar. Outras vezes, gostava de estar sozinho para rezar, sentado embaixo de uma árvore, num recanto da propriedade de sua família.
Foi aos cinco anos que ele decidiu que queria ser franciscano. O hábito e o modo de vida de São Francisco o encantavam.

Desde cedo, sua aspiração de santidade foi de travar grandes batalhas entre a carne e o demônio, que, já na infância, lhe aparecia em sonhos em formas horríveis. Mais tarde, ao longo de sua vida, ele apareceu de maneira direta.
Penitência e mortificação o acompanharam durante toda a sua vida. Certa vez, sua mãe o encontrou ainda menino dormindo no chão, onde somente havia uma pequena almofada, e pensou, por quantas noites ele já não teria feito aquilo.
Porém, Deus nunca o abandonou e lhe foram proporcionadas visões consoladoras de Jesus, Nossa Senhora e de seu anjo da guarda. Certa vez, após a comunhão, ele se viu num grande salão entre dois grupos de pessoas. O primeiro grupo com semblante tranqüilo e o segundo com aparência terrível. Mas ao fundo do salão apareceu Jesus que veio dar-lhe forças.

Percebendo que não somente deveria aliviar o sofrimento espiritual, recebeu de Deus a impiração de Construir um grande hospital, o tão conhecido “Casa Alívio do Sofrimento”, que viria a ser o referêncial em toda a Europa. Mesmo com o seu ministério sacerdotal vitimado por calúnias injustificáveis, não se arrefeceu o coração para com a Igreja por quem tinha grande apreço e admiração. Sabia muito bem distinguir de onde provinham as calúnias, sendo estas vindas por parte de alguns da Igreja, e não da Igreja mãe e mestra a quem ele tanto amava.

Viveu 50 anos com os estigmas, os quais lhes causaram grandes sofrimentos. As suas chagas exalavam um agradável perfume de flores. Ministro sagrado, apaixonado pelo sacerdócio que dedicava a sua vida pela salvação das almas pelo sacramento da confissão. Recebeu dons extraordinários, como o de bilocação, que consiste estar em dois lugares ao mesmo tempo.

Entre os tantos relatos de bilocação, há o contado por Dom Luigi Orione também proclamado recentemente santo. Santo Orione contou que em 1925, sendo um dos tantos devotos de Santa Teresa de Lisieux, encontrava-se na praça de São Pedro para as celabrações em honra da mística francesa quando apareceu inesperadamente em sua frente Padre Pio. Todavia, segundo o relato de muitas pessoas, Pio nunca saiu do convento onde vivia de 1918 até sua morte.

Era madrugada do dia 23 de setembro de 1968, no seu quarto conventual com o terço entre os dedos repetindo o nome de Jesus e Maria, descança em paz aquele que tinha abraçado a cruz do Cristo, fazendo desta a ponte de ligação entre a terra e o céu. Morte suave de quem havia completado a missão, de quem agora retornaria ao seio do Pai em quem tanto confiou. Hoje são muitas as pessoas que se juntaram a fileira dos seus devotos e filhos espirituais em vários grupos de oração que se espalharam pelo mundo. É o próprio padre Pio que diz: “Ficarei na porta do Paraíso até o último dos meus filhos entrar”.

Em 21 de janeiro de 1990 Padre Pio foi proclamado “venerável”, beatificado em 2 de maio de 1999 e tornou-se santo em 16 de junho de 2002, proclamado na Praça de São Pedro pelo pontífice Papa João Paulo II como São Pio de Pietrelcina.

A sua festa litúrgica é celebrada dia 23 de setembro.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...